Entre as inúmeras cirurgias que servem mais do que um propósito, encontra-se a mentoplastia. Trata-se de uma intervenção cirúrgica ao queixo, também denominado de mento, que pode desempenhar um papel estético e/ou funcional.

Na vertente estética, há uma procura crescente por parte de homens e mulheres que pretendem alcançar um maior equilíbrio facial, harmonizando o queixo com as restantes referências da face, com a boca, o nariz, as maçãs do rosto e os olhos. É possível a alteração da forma do queixo (alongar, encurtar ou corrigir desvios, por exemplo) bem como o seu reposicionamento fazendo-o avançar ou recuar. Já na vertente funcional, esta intervenção pode ser recomendada em casos de distúrbio do sono, como a roncopatia ou a apneia do sono, nas situações em que o maxilar inferior é demasiado curto e provoca as características paragens na respiração.

Em qualquer uma das situações, todo o procedimento é bastante simples, desde o pré-operatório até à fase da recuperação. Antes da intervenção são realizados alguns testes e exames, por forma a garantir a segurança do paciente; a cirurgia é realizada com recurso a anestesia geral em regime ambulatório, dependendo do grau de complexidade da intervenção; o pós-operatório é considerado tranquilo, contando apenas com o habitual inchaço inicial e alguns edemas, não é habitual a necessidade de internamento apenas é recomendado o repouso nos primeiros dias. Já o método aplicado varia de paciente para paciente.

Cada caso é um caso, mas se acha que a mentoplastia é a intervenção de que necessita para se sentir melhor, tanto do ponto de vista estético como funcional, ou ambos, contacte o Instituto Português da Face e deixe-nos ajudar.