A cirurgia ortognática é utilizada para corrigir o posicionamento incorreto do maxilar e da mandíbula. Se não está a perceber exatamente do que se trata, pense naquelas pessoas que têm, por exemplo, o queixo demasiado para a frente (prognatismo mandibular) ou o queixo demasiado para trás (retrognatismo), nos sorrisos que têm os dentes superiores muito avançados (mordida aberta) ou os dentes laterais sobrepostos (mordida cruzada). Já sabe do que estamos a falar?

Embora possa pensar que não passam de traços físicos herdados da genética familiar, são estes fatores que desencadeiam as anomalias do crescimento ósseo da face. A verdade é que se trata de um inadequado posicionamento do osso maxilar e do osso mandibular que, além de prejudicar a aparência do rosto, afeta funcionalidades básicas como trincar, mastigar, falar e até respirar. Para que a qualidade de vida não fique comprometida, este é um problema que deve ser resolvido (de preferência, apenas quando o crescimento ósseo estiver terminado).

Mas porquê uma cirurgia? Tratando-se de um desajuste na boca, é natural que pense que um aparelho dentário resolve rapidamente a questão, mas, neste caso, não será suficiente. A base do problema está no posicionamento dos ossos, e é lá que deve ser feita a intervenção. Usando apenas aparelho, podemos causar danos nos dentes, estes podem por vezes voltar à posição inicial e no fim acabarmos por não conseguir o resultado estético e funcional desejado, não ficando o problema resolvido, mas apenas remediado. O aparelho ortodôntico poderá ser usado como uma parte do tratamento, após a cirurgia, para corrigir o posicionamento dos dentes, de forma a garantir a posição certa que devem adotar com o osso, sendo esta a posição dos dentes que garante a sua estabilidade e saúde futura. Em certos casos, é possível fazer a cirurgia primeiro e inclusive optar pelo aparelho transparente (Invisaling R).

É uma cirurgia realizada regularmente no Instituto Português da Face com planeamento 3D. O pós-operatório não é doloroso e os resultados são imediatos e previsíveis – afetando positivamente a autoestima dos pacientes, não deixando sequer cicatriz, uma vez que a intervenção é feita na parte interior da boca. Após a cirurgia, espera-se algum inchaço, que desaparece ao fim de 4 a 5 dias, sendo a alimentação feita com normalidade, devendo apenas tirar os elásticos dos dentes. Para finalizar o processo, são recomendadas algumas sessões de fisioterapia para mel