A palavra cirurgia deriva  do latim chirurgiae e refere-se a uma intervenção no corpo de um doente para realizar um diagnóstico ou um tratamento com o objetivo de eliminar a doença, melhorar a função ou aparência de parte do corpo.

Nos primórdios da cirurgia o sucesso das intervenções eram definidas sobretudo pela habilidade do cirurgião. A verdade é que hoje a habilidade e o conhecimento do cirurgião continuam a ser decisivos mas há outros factores a ter em consideração como por exemplo o  planeamento pré operatório, os equipamentos cirúrgicos utilizados e os cuidados pós operatórios. No IPF cuidamos de cada uma destas áreas com especial atenção.

1.    Planeamento pré-operatório 


Após a primeira consulta com o seu médico no Instituto Português da Face, segue-se a fase de planeamento do tratamento. Nos casos com indicação cirúrgica acreditamos que um bom planeamento é fundamental para o sucesso do tratamento.  Por isso, todos os casos do IPF são discutidos numa reunião multidisciplinar para:

- reavaliar o diagnóstico do doente;

- discutir o melhor tratamento para o caso cirúrgico;

- planear a intervenção cirúrgica com recurso a tecnologia 3D (nos casos necessários);


2.    Equipamentos cirúrgicos


Hoje existem vários estudos que mostram que o uso de equipamentos apropriados podem:

- diminuir complicações cirúrgicas;

- diminuir hemorragia intra-operatória;

- melhorar a cicatrização dos tecidos;

- melhorar o controlo cirúrgico;

diminuir o tempo de cirurgia;

No IPF temos especial cuidado com o tipo de equipamento que usamos nas cirurgias com destaque para dois equipamentos que usamos no nosso dia e que contribuem para melhorar todos estes aspectos: o Piezoeléctrico e o Artroscópio.

O Piezoeléctrico é uma nova tecnologia de corte que utiliza a capacidade de piezoeletricidade óssea para desagregar os cristais de hidroxiapatite, “cortando” o osso por meio de vibrações de ultra-som, preservando totalmente a integridade de vasos e nervos. Saiba mais sobre esta tecnologia aqui.

O Artroscópio é um instrumento cirúrgico endoscópico usado para cirurgias minimamente invasivas através do qual se examina e, por vezes, se realiza o tratamento no interior de uma articulação através de uma pequena incisão. Pode saber mais sobre a aplicação técnica no tratamento da Disfunção da ATM aqui.

3.    Cuidados pós operatórios


Vários estudos mostram que os cuidados pós operatórios nas primeiras 6 horas são essenciais para uma boa recuperação. No IPF houve um grande investimento nos cuidados pós operatórios o que permitiu reduzir o tempo de internamento e melhorar a dor, edema e conforto pós cirurgia. Sendo o gelo essencial nesta fase, temos ao nosso dispor um equipamento de distribuição controlada de frio na face que usado nas primeiras 6 horas tem resultados muito significativos a reduzir o inchaço (edema) da face. Juntamente com outros cuidados queremos ser líderes na área do acompanhamento pós operatório.