Se lhe perguntarmos quais as articulações do corpo humano, o mais provável é indicar os joelhos, tornozelos, pulsos ou cotovelos. Mas o corpo humano é composto por muitas outras articulações que nos permitem fazer todo o tipo de movimentos. Algumas passam mais despercebidas que outras, como a articulação que mais usamos todos os dias. Está na cabeça, mais concretamente perto dos ouvidos – e normalmente só damos por ela quando dói.

Articulação temporomandibular (ATM) é o nome da junção que une o crânio ao maxilar. Permite-nos fazer movimentos essenciais como mastigar, falar, sorrir e até bocejar. No meio desta junção, está um disco articular cartilaginoso (uma espécie de almofada em ponto muito pequeno) que protege a superfície dos dois ossos. É este disco que impede que “raspem um no outro” causando dor e fricção. Quando esta articulação não funciona bem, diz-se que há uma disfunção da ATM (DTM), e uma das causas pode ser o posicionamento errado deste disco entre os dois ossos.

Os sintomas mais comuns em caso de DTM passam por ouvir estalidos ao movimentar o maxilar, dor no exacto local da articulação e dor de cabeça (que muitas vezes se alastra para o pescoço e costas, seguindo o caminho dos músculos que percorrem aquela área), dificuldade em abrir a boca e cansaço nos músculos da mastigação. Podem ser várias as razões que levam alguém a sofrer de DTM, mas a boa notícia é que há tratamento.

No Instituto Português da Face, recorremos a diferentes técnicas consoante o grau da disfunção identificado no paciente. Nos casos mais simples poderá ser apenas necessário controlar a dor e reeducar o músculo, sem qualquer intervenção cirúrgica; nos casos intermédios podem ser aplicadas técnicas minimamente invasivas para reposicionamento do disco; nos casos mais complexos a cirurgia é já considerada, apresentando tendencialmente resultados bastantes satisfatórios.

Se se identifica com os sintomas acima descritos, é fundamental que agende uma consulta para descobrir se sofre de DTM. Quanto mais cedo for diagnosticado, mais cedo receberá o tratamento adequado, podendo manter ou recuperar, a qualidade de vida e bem-estar que merece.