A articulação temporomandibular (ATM) é o nome da articulação que une o crânio ao maxilar, junto ao ouvido. Permite-nos fazer movimentos essenciais como mastigar, falar, sorrir e bocejar. Quando esta articulação não funciona bem, diz-se que há uma DTM, uma disfunção da ATM. Na maioria das DTM o disco articular fibrocartilaginoso que devia estar no meio da junção a proteger a superfície dos dois ossos está deslocado. Esse deslocamento leva a que os ossos “raspem um no outro” causando dor e desconforto nos movimentos feitos pela boca.

Abaixo descrevemos duas das diversas técnicas usadas no Instituto Português da Face, que podem ser a sua solução:

Artrocentese


Esta técnica é conhecida como a “lavagem da articulação”, e realiza-se sob anestesia local. Sem visualizar directamente a articulação, é feita uma dupla punção no compartimento superior, com o objectivo de melhorar a mobilidade do disco e reduzir a dor e inflamação. Esta técnica deve ser complementada com fisioterapia intensiva de modo a obter um maior benefício na descompressão da ATM.

Combinar esta técnica com a manipulação da articulação, poderá aumentar os efeitos positivos e acelerar os resultados.

Artroscopia


É uma técnica cirúrgica minimamente invasiva, realizada sob anestesia geral. Através de uma micro-câmera, é possível visualizar a articulação e proceder a intervenções como libertação de aderências, eliminação de áreas  inflamadas e reposicionamento do disco articular.

Esta pequena articulação pode revelar-se um grande problema, se não for tratado devidamente. Existem diversos tratamentos disponíveis,  consoante o tipo de e grau de disfunção identificado no paciente. Importante referir que quanto mais cedo a DTM for tratada, mais simples deverá ser a intervenção, e maior será a possibilidade de sucesso.