No IPF colaboramos com vários Otorrinolaringologistas, com os quais temos uma excelente relação pessoal e profissional. São eles que nos enviam cerca de 50% dos doentes com Disfunção Temporomandibular. Isso não acontece por acaso!

Existem estreitas relações nervosas entre a articulação temporomandibular (ATM) e o ouvido, justificando muita da sintomatologia da ATM ter dor irradiada ao ouvido.

No entanto na literatura, além das já descritas relações nervosas existe muitas vezes referência ao ligamento de Pinto. O ligamento de Pinto ou ligamento discomaleolar foi referido pela primeira vez por Rees mas foi Pinto que descreveu com rigor a relação existente entre este ligamento, o ouvido médio e a ATM. Este ligamento fibro elástico tem inserção no processo anterior do martelo e no disco da ATM, na cápsula da ATM e no ligamento esfenomandibular. A presença deste ligamento pode então justificar a sensação de plenitude auricular, otalgia, vertigem…que muitos doentes com DTM presenciam.

No entanto a pergunta que devemos fazer é….este ligamento existe mesmo? Todos temos o ligamento de Pinto ?

Existe alguma controvérsia neste sentido, mas nos últimos estudos ficou claro que nem todos os doentes têm ligamento discomaleolar. Por exemplo num estudo de 2006, dos 14 cadáveres dissecados, em 11 foi possível identificar este ligamento.

Este e outros estudos referem o ligamento de Pinto não existe em todos os doentes. Mais uma razão para sabermos que nem todos os doentes são iguais e que o tratamento personalizado caso a caso tem melhores resultados.