A cirurgia de feminização facial tornou-se cada vez mais procurada por mulheres transexuais. A cirurgia de femização facial é cada vez mais importante porque permite que as mulheres transexuais tenham uma integração e aceitação social. No Instituto Português da Face integramos o conhecimento médico com a necessidade dos doentes para personalizar todas as cirurgias.

A cirurgia de feminização facial abrange diversas possibilidades e neste artigo vamos falar das intervenções mais comuns:

Cirurgia de avanço da linha do cabelo:
esta cirurgia é realizada para reduzir a altura da testa e permitir uma linha de cabelo feminina mais arredondada.

Redução da bossa frontal (cirurgia de contorno do osso da testa):
o contorno do osso frontal na testa é um dos procedimentos de feminização facial mais comuns que podem ser realizados como procedimento único ou combinado com outros procedimentos. Suavizando a bossa frontal é possível feminizar o terço superior da face.

Rinoplastia:
a rinoplastia de feminização tem como objetivo diminuir a base alar típica do sexo masculino e elevar e afilar a ponta nasal. A redução da bossa nasal é um procedimento comum nestes casos. Para cada caso é seleccionado uma abordagem específica.

Cirurgia de contorno do mento:
 a redução de queixo e a cirurgia de contorno resultam num queixo mais elegante, mais suave e menor. Esta cirurgia é a que realizamos com mais frequência.

Cirurgia de contorno da mandíbula:
esta cirurgia ajuda a suavizar o bordo inferior da mandíbula. Este procedimento sozinho pode transformar o rosto de uma pessoa num mais feminino.

Aumento de lábios:
o aumento de lábios produz resultados imediatos e ajuda as mulheres transsexuais a melhorar a sua aparência feminina.

Redução de Cartilagem da Tiróide, Redução de Maçã de Adão: 
A redução da cartilagem tireoidea é um dos procedimentos cirúrgicos mais comuns realizados em transexuais. No Instituto Português da Face usamos uma técnica que permite ficar com uma cicatriz praticamente imperceptível.

Alteração da voz: A
alteração da voz permite uma integração social e hoje podemos orgulhar-nos de conseguir alterar o timbre vocal nos nossos doentes.