Foi Detectado um QUISTO DENTÁRIO ou  MAXILAR?  Saiba o que fazer.

 

A maioria dos doentes que observamos no Departamento de Cirurgia Oral e Maxilar do  Instituto Português da Face foram diagnosticados com um quisto dentário/maxilares após um raio-x ou ortopantomografia de rotina. São diagnósticos acidentais que permitem detectar o quisto numa fase inicial, onde ainda não houve uma manifestação clínica evidente.

 

Em casos mais avançados os quistos dentários/maxilares podem estar associados a edema da face, infecções orais e/ou faciais, ou outras queixas decorrentes do desenvolvimento dos quistos. Quanto mais precoce for o diagnóstico mais fácil será o tratamento.

 

Mas afinal o que é um quisto dentário/maxilares?

 

Um quisto dentário/maxilares é uma cavidade patológica revestida por epitélio que pode conter líquido ou outra substância orgânica. A maioria dos quistos dentários/maxilares desenvolve-se após um processo infeccioso da raiz dentária. No entanto existem outros tipos de quistos dentários/maxilares, sendo essencial o diagnóstico para definir o plano de tratamento. Alguns quistos são muito agressivos e discute-se hoje se alguns subtipos poderão ser potencialmente malignos. Quando os quistos dentários/maxilares não são tratados atempadamente podem aumentar de tamanho, causar fragilidade dos maxilares e compressão de estruturas nobres (e.g. Nervo Alveolar Inferior). 

O tratamento na maioria das situações é cirúrgico, e pode ou não, ser necessário remover o dente associado ao quisto. Com as técnicas minimamente invasivas e regenerativas do Instituto Português da Face, a recuperação é rápida e a taxa de recidiva é muito baixa.

 

Qualquer outra dúvida contacte a nossa equipa.