1- O que é a Síndrome da Boca Ardente?

A Síndrome da Boca Ardente é uma condição crónica da boca que provoca uma sensação de ardor na língua e/ ou outras partes da boca. Este ardor ocorre quase todos os dias, piora ao longo do dia, mas quando olhamos para a língua, parece estar tudo “Normal”.

É também conhecida como Síndrome da Língua Ardente.

Os doentes costumam apresentar sintomas há anos e normalmente já recorreram a diversos profissionais de saúde, antes de lhes ser dado o diagnóstico definitivo.

2- Quais os sintomas da Síndrome da Boca Ardente?


  • Ardor na língua e/ ou outras partes da boca.
  • Sensação de boca/ língua “encortiçada”.
  • Alteração do sabor dos alimentos.
  • Boca seca.
  • Dor e desconforto na língua e outras partes da boca.
  • Externamente não dá sintomas e a aparência física é normal.
  • Os sintomas sofrem agravamento ao longo do dia com maior intensidade ao fim da tarde e noite.
  • Os sintomas melhoram com a alimentação e relaxamento, e agravam com alguns alimentos e em situações de maior ansiedade do dia-a-dia.

3- O que causa a Síndrome da Boca Ardente?

A Síndrome da Boca Ardente tem uma origem multifactorial.

Os factores causais são: alterações hormonais e mecanismos neuropáticos (com origem nos nervos). Os factores psicológicos nomeadamente a ansiedade aguda e crónica estão associados à Síndrome da Boca Ardente.

4- É hereditária?

Não existe evidência que a Síndrome da Boca Ardente seja hereditária.

5- É contagiosa?

A Síndrome da Boca Ardente não é contagiosa.

6- Como se faz o diagnóstico?

O diagnóstico da Síndrome da Boca Ardente é clínico, faz-se na consulta e após investigação e exclusão de outras doenças orais que causem os mesmos sintomas.

7- A Síndrome da Boca Ardente pode provocar cancro?

A Síndrome da Boca Ardente não provoca cancro, nem o cancro oral.


8- A Síndrome da Boca Ardente pode ser curada?

A Síndrome da Boca Ardente não pode ser curada definitivamente mas tem tratamento!

O tratamento visa a redução e intensidade dos sintomas e da ansiedade que esta síndrome causa por dor crónica. Estão descritos alguns casos de cura clínica, em média 7 anos após o diagnóstico.

9- Como se trata a Síndrome da Boca Ardente?

O tratamento da Síndrome da Boca Ardente abrange várias vertentes:


  • Uma das abordagens mais importantes é a diminuição da dor, ardor e desconforto.
  • O tratamento farmacológico, por exemplo fluoxetina, gabapentina ou clonazepam poderá ser considerado em alguns casos particulares.
  • A gestão da ansiedade é das abordagens mais pertinentes na Síndrome da Boca Ardente e deverá ser considerada, avaliada e prescrita sob diferentes formas consoante o doente. Cada caso é um caso e as estratégias de diminuição da ansiedade e stress deverão ser personalizadas.
  • Não deverá concentrar-se no ardor nem deixar que os sintomas o impeçam de realizar o seu dia-a-dia. Há estratégias para alcançar este importante objectivo.
  • Deverá realizar uma boa higiene oral com uma pasta dentífrica adequada, ter cuidados alimentares como evitar os ácidos e picantes, ingerir cerca de 1,5 L de água por dia em pequenas quantidades de cada vez.
  • Não deverá ter receio de expor ao seu Médico o que sente relativamente à doença. Como é uma doença pouco conhecidas mesmo entre os Profissionais de Saúde, é muitas vezes desvalorizada pelos mesmos. Não desista de procurar ajuda, porque há sempre solução!


10- Sabia que há um novo tratamento para os doentes que não têm melhoria com o tratamento tradicional?

Quanto à última pergunta… deixamos a resposta em aberto para que tenha a curiosidade de vir descobrir com a nossa Equipa de  Medicina Oral no Instituto Português da Face!