Há duas semanas, recebi um doente com um quadro de dor na articulação temporomandibular e limitação da abertura da boca. Até aqui nada de novo, não fosse a causa deste quadro ser uma novidade para mim. O doente associava estas queixas ao uso de um dispositivo oral, que tem o propósito de redefinir a linha mandibular, conhecido como jawline ball. Ao pedir uma ressonância magnética confirmei que o disco estava deslocado anteriormente, causando dor e limitação da abertura da boca. Sendo um quadro agudo, foi proposto ao doente realizar uma artroscopia nível 3 para reposicionar o disco articular. Embora já tenha resolvido a situação do doente, senti-me na obrigação de investigar o dispositivo suspeito de ter causado o quadro clínico ao doente.

Percebi que este dispositivo está na moda e sobretudo usado por jovens de sexo masculino. Existem várias marcas, mas o mais popular tem 3 cores, uma azul para os iniciados, que apresenta resistência de 40lb (18,3 Kg), um dispositivo vermelho para intermédios com uma resistência de 50lb (22,1kg) e o preto ou avançado com resistência de 60lb (27,2 Kg). Nos exercícios de mastigação com estes dispositivos, estamos de forma propositada a sobrecarregar a nossa articulação temporomandibular e a causar uma hipertrofia da nossa musculatura mastigatória, o que contribui para uma sobrecarga e stress desses músculos e da articulação temporomandibular, muito acima da média.

Em termos comparativos, a força exigida pelos nossos maxilares para mastigar biscoitos secos é de cerca de 0.9Kg e para amendoins é de aproximadamente 1,8Kg (Krister Svensson et al, Regulation of bite force increase during splitting of food. 2002). O dispositivo azul, o considerado para iniciados já exige forças mastigatórias aproximadamente 10 vezes superior ao exigido pelos nossos maxilares para mastigar amendoins.

Ainda não existem estudos ou conclusões sobre o possível impacto destes dispositivos na articulação temporomandibular, músculos mastigatórios ou nos dentes. Mas na minha opinião, a recomendação seria evitar estes dispositivos

Oral devices to redefine the mandibular line (jawline ball)

Two weeks ago, I received a patient in my clinic with temporomandibular joint pain and limited mouth opening. So far nothing new, except that the clinical condition trigger was new to me. The patient associated these complaints with the use of an oral device, which has the purpose of redefining the mandibular line (Jawline ball). I prescribed an MRI, and confirmed that the disc was dislocated, causing pain and limitation of the mouth opening. I proposed to the patient a level 3 arthroscopy to repositioning the articular disc. Although I have already solved the patient's condition, I felt obliged to investigate this device.

I noticed that this device is fashionable and mostly used by young males. There are several brands, but the most popular has 3 colors, one blue for beginners, which features resistance of 40lb (18.3 Kg), a red intermediate device with a resistance of 50lb (22.1kg) and black or advanced with a resistance of 60lb (27,2 Kg). In the exercises proposed, the users purposely overload the temporomandibular joint and cause masticatory muscles hypertrophy, which contributes to an overload and stress of the masticatory muscles and temporomandibular joint, far above average.

In comparative terms, the strength required by our jaws to chew dry cookies is about 0.9 kg and for peanuts is about 1.8 kg (Krister Svensson et al, Regulation of bite force increase during splitting of food. 2002). The blue device, considered for beginners, already requires chewing forces about 10 times higher than that required by our jaws to chew peanuts.

There are no studies or conclusions on the possible impact of these devices on the temporomandibular joint, chewing muscles or teeth, but in my opinion, the recommendation would be to avoid these devices.