NEVRALGIA DO TRIGÉMIO

 
 

A Nevralgia do Trigémio

A nevralgia do trigémio (anteriormente designado por Tic douloureux) é uma dor que afecta o nervo trigémio (V nervo), responsável pela transmissão da sensibilidade da face.

É uma condição crónica, que atinge mais mulheres do que homens e, normalmente, inicia-se na idade adulta (depois dos 50 anos).

Em até 95% dos casos, é identificada um contacto ou compressão por um vaso sanguíneo normal, que “irrita” a bainha do nervo, na sua entrada para o tronco cerebral. Mais raramente, nos casos secundários, pode associar-se a patologias como esclerose múltipla, lesões compressivas, como tumores ou ser complicação de intervenções cirúrgicas.
 
 
 
Sinais e Sintomas
A nevralgia do trigémeo manifesta-se por episódios de dor que pode afectar a região da mandíbula, a região malar, os dentes, as gengivas e, menos frequentemente, a testa e a região periorbitária.

Caracteriza-se por:
  • Dor súbita severa, que dura uma fracção de segundos a poucos minutos;
  • Dor tipo choque eléctrico;
  • As crises podem surgir espontaneamente, mas tipicamente são desencadeadas por falar, mastigar, lavar os dentes ou apenas tocar na região da face dolorosa - ao barbear-se, por exemplo.

    Inicialmente os episódios de dor podem ser leves e curtos, mas a nevralgia do trigémio pode progredir e causar ataques frequentes e excruciantes de dor, tornando-se muito incapacitante.

  • Dor tipo choque eléctrico;
  • As crises podem surgir espontaneamente, mas tipicamente são desencadeadas por falar, mastigar, lavar os dentes ou apenas tocar na região da face dolorosa - ao barbear-se, por exemplo.

Inicialmente os episódios de dor podem ser leves e curtos, mas a nevralgia do trigémio pode progredir e causar ataques frequentes e excruciantes de dor, tornando-se muito incapacitante.
 
 
 
DIAGNÓSTICO
Atendendo à localização da dor, é frequente o recurso inicial a Médicos Dentistas com realização de procedimentos dentários ineficazes. De facto, a história clínica e o exame neurológico são fundamentais para o correcto diagnóstico. O uso de exames complementares de imagem, nomeadamente a Ressonância Magnética, são importantes para identificar contactos neuro-vasculares ou patologia subjacente.
 
 
 
TRATAMENTO
A dor da nevralgia do trigémio, habitualmente, não responde aos analgésicos comuns de venda livre. Carece de seguimento médico especializado e a instituição de fármacos como anticonvulsivantes ou anti-espasmódicos é a preconizada. Os ajustes de dose deverão ser frequentemente monitorizados, atendendo aos seus efeitos adversos. Em alguns casos poderá ser necessário o uso de toxina botulinica.

Nos casos refractários à terapêutica médica, a descompressão microvascular por abordagem cirúrgica ou a radiocirurgia (Gamma knife) poderão ser equacionadas.
 
 
 
 
 

Faça Já a sua Pré-marcação